Menu

Blog

13 de Dezembro de 2017

Bingata, a técnica secular japonesa de tingimento



Com cores exuberantes e padrões que retratam elementos belíssimos da natureza, a técnica de tingimento conhecida por Bingata é mais complexa e delicada do que se imagina. Criada em algum lugar no sul da Ásia, a técnica foi aperfeiçoada e se tornou tradição em Okinawa, no Japão, ainda no século 14.

Com uma variedade rica de fauna e flora, inspiração e matéria-prima não faltaram aos habitantes que se dedicaram à perpetuação da técnica durante o império Ryukyu. O trabalho era tão intenso para fazer quimonos estampados de Bingata, que a técnica era popular apenas entre os nobres e ricos, devido ao valor investido em cada peça.







Os quimonos eram comumente pintados com padrões de pássaros, flores, rios e nuvens, em tecidos como seda, linho e bashofu (uma espécie de lã criada a partir da fibra de musa basjoo, a bananeira japonesa). Os pigmentos para o tingimento eram bastante variados, a maioria vindo diretamente da natureza, como arsênio e enxofre, plantas e frutas diversas, e até mesmo alguns insetos, como a cochonilha.



As estampas são feitas a partir de estêncil, que são pequenas lâminas cortadas no formato desejado e, por cima delas, é colocada uma pasta de farinha e arroz integral cozido. Quando a pasta estiver seca, começa-se então o processo de pintura.



Após 72 horas, quando tudo estiver completamente seco, o tecido é submerso na água por 12 horas. Assim, a pasta de arroz irá se soltar do tecido, deixando apenas o pigmento estampado com a ajuda do estêncil. Demais, né?





Além de uma técnica tradicional, a Bingata conversa muito sobre o momento que estamos vivendo na moda. Com tingimento sustentável, afinal utiliza apenas corantes naturais, as peças nas quais a técnica é aplicada são exclusivas, trazendo a identidade de cada consumidor, e produzidas em pequena escala.



Não é à toa que um quimono de Bingata demora cerca de três dias para ser pintado – isso se estivermos falando de três pessoas fazendo isso ao mesmo tempo! –, e mais um mês para ser finalizado e entregue ao cliente.

Sobre o autor

Renauxview

Comentários

Newsletter

Fique por dentro de todas as novidades da Renauxview

Fique tranquilo nós também odiamos spam ;)