Menu

Blog

08 de Julho de 2021

O novo Couro Vegetal

COURO


O couro foi usado como proteção e vestimenta desde os primórdios, e por muito tempo significou poder aos caçadores. Anos se passaram e desde que as marcas de moda se posicionaram no mercado, o couro foi rapidamente adaptado a novos designs de vestuário e acessórios.


Mais recentemente, a utilização desse material de origem animal começou a ser criticada por uma parcela do público preocupada com questões de bem estar animal e ecológicas, como a relação da pecuária de corte com desmatamentos e  emissão de CO2.


Surgiu então uma alternativa que driblava essa polêmica: O couro sintético, também chamado de “couro ecológico”. Apesar do nome evocar um alívio ao "peso na consciência", a base estrutural do couro sintético é o poliéster, um polímero sintético plástico produzido a partir do petróleo.


Esses polímeros sintéticos, quando descartados em aterros sanitários, podem demorar mais de 200 anos para se decompor na natureza.


STELLA MCCARTNEY


Vegetariana de berço, Stella McCartney é famosa por nunca ter utilizado pena, pele ou couro em suas criações e sempre buscar incansavelmente opções menos danosas ao meio ambiente.


Foto: Stella McCartney


Diferente das opções petroquímicas para o couro sintético, o Mylo™ é produzido em laboratório a partir do micélio, a parte vegetativa de um fungo ou colônia de bactérias,  e resulta em um material macio e sustentável.


“Este processo é projetado para ter um impacto ambiental mínimo e leva dias, não anos como a criação de gado - ajudando a economizar água, emissões de gases de efeito estufa e protegendo ecossistemas vitais como a Amazônia do desmatamento.” diz a plataforma oficial de McCartney.


REISHI, O NOVO COURO VEGETAL


A MycoWorks é uma empresa de ciência dos materiais e biotecnologia, proprietária do Fine Mycelium™ - um processo inovador de produção de materiais de alto desempenho e alto padrão. A patente da empresa inseriu no mercado uma nova classe de materiais vegetais Premium, sendo Reishi o nome do principal produto acabado.


Foto: Reishi™, MycoWorks


O Reishi™ apresenta resistência, durabilidade e desempenho intrínsecos do Fine Mycelium™, além da característica personalizável que entrega controle criativo e possibilidade de design às marcas. O cogumelo é produzido na sede MycoWorks da Califórnia, depois curtido e acabado na Espanha por artesãos tradicionais em curtume, com décadas de experiência e prática, entregando os mais altos padrões da indústria da moda para couro.


COURO VEGETAL X COURO DE COGUMELO


Diferente do couro de cogumelo, que comprime a estrutura porosa produzida pelo micélio, o processo Fine Mycelium™ induz o material vegetal a crescer de forma plana, formando uma verdadeira superfície com espessura, desempenho e características estéticas determinadas pelo próprio cliente.


Foto: Bolsa Hermès de Couro Sylvania, Fine Mycelium™


ARQUITETURA


Apesar desse material estar tomando proporções muito maiores agora, Philip Ross, fundador da MykoWorks estuda os micélios desde os anos 90, e desde então vem entendendo suas propriedades e mais diversas aplicações.


Ele foi responsável por desenvolver o tijolo de micélio, ao descobrir que conforme o cultivo do cogumelo, ele pode assumir diversas formas e funções. O especialista descobriu que o tijolo de micélio é altamente resistente quando seco e pode ser utilizado para construções, além de ser resistente ao fogo, água e mofo.


Não foi à toa que essa descoberta deu origem ao Hy-fi, monumento arquitetônico que está exposto no MoMa em Nova York.



Fotos: Hy-fi, MoMa





Sobre o autor

Renauxview

Comentários

Newsletter

Fique por dentro de todas as novidades da Renauxview

Fique tranquilo nós também odiamos spam ;)